terça-feira, 10 de setembro de 2013

Mulheres, filhas do Altíssimo

Ah, mulheres!
Como vocês exaltam o Altíssimo
sendo mulheres - e não garotas....

Sendo mulheres, e não homens.

Ah, mulheres!
Como vocês glorificam a DEUS
sendo femininas - e não masculinas.
Sendo delicadas, e não brutas.

Ah, mulheres!
Como vocês magnificam o Senhor
sendo meigas - e não ríspidas.
Pequeninas, e não gigantes de gelo.

São vasos frágeis, valiosas.
Belos adornos, valorosas.
Preciosas, excedendo muitas jóias.
Pois assim são as filhas do Altíssimo.

Desejam as cortinas mais belas?
Vocês terão.
Querem os vasos mais cheirosos?
Iremos enche-los com rosas - como vocês.

Mulheres, rosas fechadas.
Papeis sensíveis, com uma grande margem.
Letras são escritas com sangue,
ao viver do dia à noite - em vocês.

Deixem que nos percamos em vocês!
Cada qual com sua tal,
cada gentil com sua rosa,
tal qual o cavalheiro com sua coroa.

Mulheres, filhas do Altíssimo:
o mais precioso serviço: mãe.
A mais valorosa coroa: esposa.
O maior privilégio: filha do Altíssimo.
O trabalho mais digno: cuidar dos seus.

Embelezam o dia,
dão sentido à poesia.
Fazem o verso, são o verso, vivem cada estrofe,
com as pernas cobertas, cintilando seu vestido.

Filhas do Altíssimo,
vocês têm amor, infindável valor.
Vocês são carne da carne,
ossos dos ossos.

Ah, filhas do Altíssimo!
Como vocês refletem o Criador
sendo discretas - e não vulgares.
Sendo puras - e não prostitutas.

A mãe fala à filha,
a filha torna-se auxiliadora;
a auxiliadora torna-se mãe;
a filha, que é mãe e também auxiliadora,
agora é mulher completa.

Que suas torres sejam guardadas,
e suas vestes de pureza adornadas.
Cinjam os ombros de respeito;
cubram as pernas em amor.

Esta é a verdadeira beleza: a interior!
Suas rugas virão, mas os valores nunca passarão
- esta será honrada! -
Mudas de beleza, cegas de gentileza, despojadas em seu leito.

Ah, mulheres!
Assim vocês são, em Seu Criador.
Riam-se nEle;.
filhas do Altíssimo, princesas preciosíssimas.

Maiores presentes vocês são,
filhas do Altíssimo.
Mulheres somente são, e não garotas.
O que é o homem sem sua esposa?
Reitero: que presente sem sua ajudadora?

Tanto já, quanto no presente como que serão.
Filhas do Altíssimo, filhas, esposas, mães,
todas estas, assim são amáveis.
Em sua honra, em sua pequenina meiguice.

Nosso dever: valorizá-las.
Nosso manter: respeitá-las, amá-las.

Ah, filhas do Altíssimo - mulheres -,
preciosas vocês são - coroas, amores, adornos nossos.

______________

♦ Autor: Cesare Turazzi

♦ Fonte:
http://www.recantodasletras.com.br/poesiasdeamor/4178028

Nenhum comentário: