sexta-feira, 25 de outubro de 2013

Banquete memorável: um bom papo!

Para se preparar uma boa conversa devemos utilizar alguns excelentes temperos. O principal de todos é ouvir. Saber calar e ouvir. Ouvir em fogo brando. O calor de palavras ácidas pode queimar, estragando o diálogo. Algumas palavras são calmante, mas quando empregadas com sarcasmo podem corroer muito.
O escárnio, a zombaria está, intimamente ligado, à ironia. Há um intuito mordaz, por vezes até cruel de ferir o outro. Este não é um tempero adequado para nenhuma conversa, e sim para um ataque.
O ouvir é não é trabalhoso nem pode ser apressado. Importante tirar totalmente a tampa do coração, permanecendo o máximo que puder com a mente aberta. A pressão alta no diálogo destrói o entendimento, assim como a fervura pode estragar o sabor de se estar junto, pode comprometer o gosto do carinho.
Caso empole com algum mal entendido use a colher da paciência até que fique tudo bem esclarecido. O simples fato de repetir, explicando algumas palavras pode esclarecer, e muito. Podemos ter entendimentos diferentes para a mesma expressão.
Lembre-se, se o que você está conversando for composto de muitos ingredientes secos e pesados, é indispensável untar antes com muita oração. Buscar graça e misericórdia do Pai, assim evita fervura desnecessária:
“Antes de tudo, pois, exorto que se use a prática de súplicas, orações, intercessões, ações de graças, em favor de todos os homens,” 1 Timóteo 2:1.
O molho indispensável para que qualquer quitute fique bem lembrado é composto de muita compreensão. Coloque-se no lugar outro, imagine o que o outro teve que suportar, suponha que estão de papéis trocados(mas só suponha!). O que pode passar no coração do outro? Quanto da história do outro pode estar influenciando-o? Será que você saberia se comportar diferente? O que dá um sabor muito agradável a este molho é a misericórdia.
“O que torna agradável o homem é a sua misericórdia.” Provérbios 19:22
Agora, para que este momento se transforme em um banquete memorável, acrescente muitas pitadas de alegria. Dê muita gargalhada dos seus erros, das suas mancadas e dos seus micos. Com os furos e equívocos do outro, só dê a risadas se o próprio assim o fizer.
Bom papo para vocês. Deguste sem moderação e glorifiquem ao melhor de todos os ouvintes, nosso Deus e Pai.

Fonte: http://www.pelamanha.com/ - 75 dias: banquete memorável: um bom papo!

Nenhum comentário: