sexta-feira, 25 de outubro de 2013

Sem turbulências na comunicação.

Uma das formas de competir bastante agressiva está na comunicação. Na conversa do homem com
sua mulher. Ambos, já crescidinhos pensam que sabem dialogar, mas com certa facilidade começam a falar de forma codificada. Compartilha-se um pensamento esperando que o outro entenda o que se deseja dizer.
O “brincar” de falar por códigos só serve quando os dois sabem que estão numa divertida e alegria brincadeira por um determinado tempo. Pois, se um começa externar suas necessidades e expectativas de forma codificada, com certeza ficará frustrado. Frustrado porque quando o outro não corresponde, não se alcança o que se esperava.
O coração, que é desesperadamente corrupto, começa a acreditar que o amado, a amada, está com barreiras: não quer atender aos desejos solicitados, aos sonhos contados. Surge a turbulência na vida do casal.
— Mas eu falei, você que não quis me ouvir.
— Não, porque você não é clara?
Não podemos deixar que o inimigo ponha a pata dele dentro de nosso relacionamento. Não podemos deixar que raposinhas venham devastar nosso jardim secreto. A comunhão, a comunicação de um casal deve ser sempre muito bem protegida, cultivada e regada com oração.
Se você está com dificuldade de se expressar, comece exatamente por isso. Não acuse, confesse. Peça ajuda. Caso você escute que o outro está com bloqueio no diálogo contigo, não se aborreça nem se defenda. Observe se não é exatamente você quem está criando está dificuldade. Ore, busque do Pai de todas as línguas graça e sabedoria para sempre falar a verdade em amor.
“Mas, falando a verdade em amor, cresçamos em tudo naquele que é a cabeça, Cristo” Efésios 4:15
Falar, não vomitar. A verdade, não os códigos criados. Amar e não competir.
“A resposta branda desvia o furor, mas a palavra dura suscita a ira.” Provérbios 15:1
Com palavras carameladas de amor devemos falar sempre a verdade uns aos outros. Não precisamos suscitar amargor no outro. Falemos, conversemos tudo, sempre prontos para ouvir.

Fonte: http://www.pelamanha.com/ - 76 dias: sem turbulências na comunicação

Nenhum comentário: