domingo, 3 de novembro de 2013

Ela (Ana) pois, com amargura de alma, orou ao Senhor, e chorou abundantemente

"Ela, pois, com amargura de alma, orou ao Senhor, e chorou abundantemente."
1 Samuel 1:10

"Que imensa riqueza há em sabermos que mesmo sendo as circunstancias externas desfavoráveis a perseverança nos levara a alcançar o que buscamos!
Momentos como este em que Ana se encontrava são propícios para o Espírito de Deus agir em nós. Como ele quer nos levar à maturidade espiritual! Ele usará estes momentos para trabalhar em nós. É a hora para limpar do nosso coração as amarguras e pesares; de colocar o ego fora do centro do nosso ser, e em seu lugar entronizar o único que sempre deveria aí estar. É o momento de sermos levados pelo Espirito a lançar fora muitas coisas quem precisam deixar de ocupar lugar em nossa mente, e fazer aflorar tudo o que estava oculto, lá no intimo, e que fere, agita e machucada a alma, para desfazermo-nos disso para sempre. É a hora em que Deus trata com nosso orgulho, leva-nos a abrir mão de lutar por nossos direitos, faz-nos render inteiramente a ele. Assim estaremos prontos para também, desfazer-nos dos ressentimentos e deixar  aflorar a disposição de perdoar os que nos magoaram e deixarmos inundar com o amor daquele que é Amor.
Ana e tantos outros passaram por essa situação de "em agonia de alma", e souberam usar o recurso sempre presente da oração, encontrando guarida nos braços do bom Pai. Ana não amarra mais as cargas em seus ombros; orando, as lança sobre aquele que pode toma-las e eleva-las para longe dali!"

A oração de Ana - Erasmo Vurlod Ungaretti
 

Nenhum comentário: