sexta-feira, 22 de novembro de 2013

Livro: “Criada Para Ser Ajudadora Idônea” (capítulos 5, 6 e 7)

  “A mulher sábia edifica a sua casa, mas a insensata, com as próprias mãos, a derriba.” Pv 14:1

Os capítulos 5,6 e 7 do livro “Criada Para ser Ajudadora Idônea” falam sobre a importância da sabedoria. Nossas ações e reações são responsáveis pelo que colhemos tanto aqui na nossa vida terrena quanto na eternidade. Uma mulher sábia busca conhecimento, está sempre aprendendo, sempre aberta a mudanças e pronta a ouvir. Antes de continuar aqui, saiba que já escrevi sobre o capítulo um e sobre os capítulos dois, três e quatro.
A autora conta a história de uma mulher que está com o casamento por um fio, profundamente amargurada com seu marido porque ele deixa seus filhos assistirem qualquer programa na televisão, ela quer que seus filhos cresçam no Senhor e sabe que isso irá atrapalhar. Debi responde para ela assim:

“Me escute, jovem mãe, não banque a boba. Você não sabe o quão ruim isso pode ficar. O diabo adoraria roubar a alma de seus filhos. Mas ele não irá fazer isso através da TV do seu marido, ele irá fazer isso através da sua desonra. Seus filhos poderão, sim, ter problemas na área sexual por serem expostos a certos programas. Mas acho mais fácil eles sobreviverem a isso do que a um lar destruído. Quando Deus deu Eva a Adão ele estava dando uma ajudadora, não uma consciência. Ele já tinha uma antes dela ser criada. Não estou sugerindo que você abaixe seu padrão. Na verdade, seu marido que tem que elevar os dele, mas a sua insistência e críticas tem o efeito oposto quando a intenção é produzir retidão. O ideal seria você manter seu padrão, manter sua boca fechada e manter seu homem, ai com o tempo talvez você consiga uma forma de falar com ele de forma não ofensiva.”

E ela diz mais, aconselhando todas as mulheres:

“Seu marido poderá ser egoísta, rude, grosseiro e não respeitar seus direitos. Ele pode ser cruel e esse filho de Adão pode até estar vivendo em pecado. Haverão momentos em seu casamento que você irá precisar de fé e sabedoria para acreditar que Deus é bom e justo quando mandou que você se submetesse a seu marido em tudo. A questão é, você tem temor do Senhor o suficiente para não questionar a palavra dEle?
“O temor do SENHOR é o princípio da sabedoria,” Prov 9:10
Você tem duas escolhas: duvidar de Deus e dizer “eu sei que Deus não espera que eu honre esse homem, é impossível” ou você pode dizer “Deus, eu sei que sua palavra me ensina a ser uma esposa que está aqui para ajudar a realizar os desejos e sonhos de meu marido. Me faça essa mulher.” Você pode decidir viver em um constante estado de amargura ou você pode pedir a Deus por sabedoria para viver a cada dia honrando seu marido por causa do Senhor.
Você ficou brava com seu marido essa semana por algo que ele fez, como se atrasar, ter sido rude com você ou gritado com as crianças? Você fervilhou com raiva ou tristeza e intencionalmente evitou olhar nos olhos deles para demonstrar seu desdenho? Sim, seu marido merece. Sim, são seus direitos. Mas há alguma satisfação em sua reação punitiva? Ele agora se prostra à sua raiva e age melhor na esperança de escapar da sua condenação? Não. Ele pratica erros e você pratica amargura, vocês dois estão praticando o fim de seu casamento. Note que a ordem de Deus não depende do homem amar sua esposa como Deus amou a igreja. O que Deus falou permanece independente da bondade ou da aparente falta de bondade do seu homem.
Cuide com o que você pensa. Ataques de raiva, depressão, mudanças de humor e medos infundados começam na mente. Eles são fruto dos seus 40.000 pensamentos diários. Por reagir da mesma forma repetidamente, você estabelece hábitos que se tornam tão fortes que você acha que você é assim. Mas isso não é verdade, você pode mudar seus hábitos:  crie uma “Lista de Gratidão” e anote todas as coisas que você é grata a Deus. Quando você começar a ficar com um espírito crítico, pare, respire fundo, e silenciosamente peça por sabedoria. Então, pense em algo da sua lista e agradeça. Isso irá remoldar um hábito e, com o tempo, a prática o tornará perfeito.
Pense na coisa que seu marido faz que mais te irrita. Agora diga para você mesma: “Minha atitude crítica é um pecado muito maior do que as coisas que ele faz. Eu estou deixando de lado a minha campanha contra ele sobre essas situações. É trabalho de Deus direcionar meu marido e o convencer. Eu estou confiando em Deus.”
O jeito de Deus funciona!

*Vale ressaltar que quando a autora fala sobre se submeter à seu marido em tudo, ela não está falando sobre tolerar agressão física.

“Se, porém, algum de vós necessita de sabedoria, peça-a a Deus, que a todos dá liberalmente e nada lhes impropera; e ser-lhe-á concedida.” James 1:5
 
# Tá com preguiça, não quer ler nada?
→ Seu marido peca? Isso não é justificativa pra você pecar também! Seja sábia :)

Fonte: http://www.rumoaoalvo.com/

Um comentário:

Milena Protto disse...

Precioso post Gisa! :)bj