terça-feira, 7 de janeiro de 2014

a que muito amou...

"Maria Madalena, é um exemplo disso. Depois da morte de Jesus, ela se apressa a
ir ao sepulcro, de manhã cedo, antes de qualquer dos discípulos , levada pelo amor a buscar aquele que é amor de sua alma. Aí encontra um belíssimo anjo com vestes resplandecentes de um brilho celestial. Mas Maria Madalena está cega para toda beleza, mesmo que esta seja a majestade  e magnificência de um ser celeste. Seus olhos buscam o amigo de sua alma. E ela se dirige ao jardineiro perguntando: "Onde o puseste?". Embora não O encontre  não desiste de procura-lo. O amor não desiste porque ele sempre espera e acredita, mesmo quando, na verdade, não há em que acreditar ou o que esperar. O amor não se detém. Persegue seu objetivo: possui-lo, possuir o amado. Não se contenta com menos porque para ele tudo o mais é sem cor e mesquinho, quando comparado com o amado. Este amor não descansa até poder lançar-se aos pés daquele que a quem diz: "Raboni"

Basileia Schlink

Nenhum comentário: