sexta-feira, 14 de fevereiro de 2014

Viva para Deus – E leve a Sério! - Keith Green Post Agost 2010

Assim como o apostolo Paulo, Rees Howells descobriu que Deus não está para brincadeira. Howells foi um pregador e líder no grande reavivamento do começo do século XX no Pais de Galis, e também foi usado por Deus para trazer avivamentos a Inglaterra, Irlanda e África. Ele insistia que a eficácia do seu testemunho por Cristo veio de um incidente ocorrido aos vinte e sete anos – um encontro transformador com o Espirito Santo três anos após sua conversão. Norman Grubb contra o incidente com as palavras de Howells:
Eu o vi como uma pessoa, porem não de carne e osso. Ele me disse: “Assim como o Salvador teve um corpo, também eu habito no templo purificado daquele que crê em mim. Eu sou Deus e estou pedindo a você que me dê seu corpo, para que eu possa trabalhar através de você. Eu preciso de um corpo para ser meu templo. Mas ele pertencer a mim sem reservas, uma vez que duas pessoas com diferentes vontades jamais poderão viver no mesmo corpo. Você tem que sair. Eu não vou me misturar com Você.” Percebi a honra que me havia sido dada pelo Espirito Santo ao querer habitar em mim, mas havia muitas coisas às quais eu me apegava. E eu sabia que Ele teria que se livrar de todas elas. A mudança a ser feita estava bem clara. Significava qual cada pedacinho da minha natureza caída deveria ir para a cruz para que Ele pudesse colocar em mim Sua própria vida e Sua própria natureza. Minha entrega deveria ser incondicional.
A história continua com Howells recebendo um ultimato de Deus: Será que ele obedeceria?
Nos dias que se seguiram Howells chorou continuamente. Não conseguia comer ou dormir e perdeu uns quatro quilos. Esta era a decisão mais difícil que teria fazer – entregar a própria vida para Deus, como um cheque em branco. Será que ele estava disposto a abrir mão de todos os seus sonhos, todas as suas posses, e dar pleno controle ao Espirito Santo? Não dava mais para brincar, ele tinha que tomar a decisão.
Eis o que aconteceu:
Nada era mais real para mim do que o processo pelo qual eu passei durante aquela semana... O Espirito Santo começou a tratar comigo expondo a raiz da minha natureza – ou seja, meu ego. E isto é algo que só pode ser purificado pela raiz. O pecado estava sendo tratado, mas na verdade não era exatamente o pecado que Ele estava tratando, era o ego - aquela parte de nós que foi afetada pela queda. Ele não estava disposto a aceitar uma rendição parcial, antes interferiu em cada parte do meu viver, me fazendo tomar decisões a sangue frio. Não havia nada que ele mudasse sem o meu consentimento.
Para receber vida de ressurreição e o poder que a acompanha, devemos estar dispostos a abrir mão de todas as coisas às quais nos apegamos. Às vezes nossa carne protesta quando o fazemos. Outras vezes ela cria meios sutis para nos impedir. Ao invés de espernear e gritar, nossa carne tenta disfarçadamente nos distrair com assuntos secundários – qualquer coisa que nos impeça de dar tudo a Deus . De uma hora para outra, pequenas questões teológicas se tornam os assuntos mais importantes, enquanto concentramos nossa atenção em tudo menos naquilo com a qual o Espirito Santo quer tratar. Há momentos em que o Espirito Santo põe o dedo em áreas da nossa vida e pede que entreguemos o controle a Ele.
Rees howells se rendeu ao desafio do Espirito Santo. E você, o que faria se deus lhe desse um ultimato?

- Livro: Se você ama o Senhor – Keith Green

Nenhum comentário: