quinta-feira, 1 de maio de 2014

Melhores Oportunidades da Fase - Para Mulheres Soltleiras - Parte 4

Carolyn Mahaney e Nicole Whitacre

No último post, nós consideramos os relacionamentos da mulher solteira e que tipo de amigos ela deveria procurar. Mas há mais uma relação que é uma grande oportunidade na fase de solteira: crianças. Você pode expressar sua feminilidade cuidando de crianças.
Em Gênesis 1, vemos que macho e fêmea foram criados para serem frutíferos e se multiplicarem. Como mulheres nós somos criadas para sermos geradoras de vida. Nossos corpos foram projetados com a habilidade de proteger, receber, carregar e sustentar crianças, amamentar. Nosso corpo se prepara repetidamente para conceber e sustentar uma criança. Então como uma mulher solteira participa do propósito da maternidade se ela não tem filhos? Como ela expressa a feminilidade dela como geradora de vida, como cuidadora?
Elisabeth Elliot respondeu esta pergunta:
"Uma mulher solteira pode ter as crianças! Ela pode ser uma mãe espiritual, como era Amy Carmichael [missionária para órfãos na Índia], exatamente oferecendo sua condição de solteira transformada para o bem de muito mais crianças que uma mãe natural pode produzir."
Mulheres solteiras, vocês podem expressar sua feminilidade nesta fase da sua vida cuidando das crianças de outras pessoas. Quando você cuida das crianças de outras pessoas (como babá), você está dando expressão à sua feminilidade. Quando você se interessa e estende a mão a crianças no seu círculo de relacionamentos, você está expressando o dom da feminilidade que Deus lhe deu.
E deixe-me dizer "Obrigada" em nome de todas nós mães! Obrigada pelo modo como você cuida das nossas crianças. Obrigada pelas inúmeras vezes que você nos serviu como babá. Obrigado pelo modo como você amou nossas crianças como se fossem suas. Significa tanto para nós! No entanto, você está fazendo mais do que nos abençoar; você está honrando a Deus expressando sua feminilidade através do cuidado com as crianças.
Em resposta à postagem acima, recebemos um e-mail maravilhoso da Caroline falando a respeito de três gerações de mulheres solteiras que cuidaram de crianças:
Eu era solteira até os 35 anos (agora tenho filhas gêmeas de 4 anos--nossa bênção em dobro!). Eu já estive em três posições no que diz respeito a solteiras cuidando de crianças.
Quando eu era criança tínhamos uma amiga chamada Donna que vinha tomar chá todas as semanas, tomava conta de nós e ela exercia muita influência piedosa sobre mim e meus irmãos. Agora eu estou com 40 anos e ainda penso nela como parte da família. Embora eu raramente a veja, eu sempre me lembro dela com enorme carinho e alguns dos conselhos dela ainda me ajudam.
Quando solteira eu tive o privilégio de ser muito próxima de várias famílias com crianças. Eu era uma jovem cujo principal objetivo era (e sempre será) ser uma esposa e mãe de Provérbios 31. Eu achava extremamente difícil ser solteira, mas encontrei grande realização em passar tempo com as crianças de meus amigos. Eu trabalhava com crianças, e também ajudava uma amiga toda semana com as crianças quando o marido dela trabalhava até tarde. Eu também fui babá e passava tempo com outras amigas e seus filhos. Eu adorava todos eles e me sentia muito privilegiada quando eles me chamavam de amiga e quando eu os ouvia repetir frases que eu falava com freqüência!
Agora, como uma mãe com crianças pequenas, eu tenho uma amiga especial chamada Helen que vem tomar chá uma vez por semana e ajuda colocar minhas filhas na cama, ora conosco, lê histórias para elas, vai a passeios comigo, meu marido e as crianças e ajuda como babá. Quando minhas filhas falam sobre nossa família no sentido mais amplo, elas sempre a incluem. Ela tem grande influência nas vidas delas e eu me sinto privilegiada em tê-la como parte de nossas vidas. Assim como eu chamava a Donna de "minha Donna" e as crianças das minhas amigas me chamavam "minha Caroline", minhas filhas agora a chamam de "minha Helen. Eu sou realmente abençoada!
Extraído: http://www.bomcaminho.com
 

Nenhum comentário: