segunda-feira, 12 de maio de 2014

Palavras sábias para mulheres - Parte 5 - Anne Bradstreet

Nicki Adams

a_bradstreet_big.jpg (9K) - Anne Bradstreet

Já que é Dia dos Namorados(2), as Palavras Sábias para Mulheres foram adequadamente escolhidas. É um poema de Anne Bradstreet e lindamente expressa o amor de uma esposa por seu marido.
Mas antes de deixá-la ler esta poesia, você deve estar imaginando quem é Anne Bradstreet. Anne Bradstreet (1612-1672) foi a primeira escritora e poeta americana a ter seu trabalho publicado. Ela nasceu em Northampton, Inglaterra em 1612 e casou aos 16 anos de idade com Simon Bradstreet, o filho de um pastor Puritano. Em 1630, Anne e sua família emigraram para a América em um dos primeiros navios a trazer os muitos Puritanos para a Nova Inglaterra.
O trabalho dela serve como um documento das lutas de uma esposa Puritana contra os sofrimentos da vida colonial na Nova Inglaterra e uma contínua batalha com doenças. Apesar disto, a fé de Anne foi descrita como exemplar, como também o seu amor pelo marido e oito crianças. Muitos dos poemas dela não só foram escritos em tempos difíceis mas em períodos de solidão quando os deveres políticos do seu marido exigiam que ele viajasse com freqüência em missões políticas.
Muito dos trabalho de Anne giram em torno de temas religiosos, família, e em particular o amor que ela tinha pelo seu marido. Em um tempo quando a cultura Puritana de certa forma reprimia o amor entre o marido e esposa, para não distrair da devoção a Deus (3), alguns dos sonetos de Bradstreet trabalham contra esta idéia. Um exemplo bom disto é o poema, "Para Meu Querido e Amoroso Marido."
“Se alguma vez dois foram um, então certamente nós.
Se alguma vez foi um homem por sua esposa amado, então você.
Se alguma vez foi feliz uma esposa com um homem,
Comparem-se comigo, vós mulheres, se puderem.
Mais do que minas de ouro valorizo seu amor
Ou do que todas as riquezas do Oriente.
Tal qual rios que não se extinguem é o meu amor,
Nem deve senão o amor por você recompensar.
Seu amor é tal que de modo algum retribuir eu posso.
Que os céus muitas vezes o recompensem, eu suplico.
Que perseverar possamos enquanto vivermos
E quando não mais vivermos, que para sempre viver possamos.”
Se você quiser ler mais sobre Anne Bradstreet e o seu trabalho clique aqui.


(1) Este é o quinto de uma série de 7 posts publicados no blog titus2talk todas as quartas feiras no período entre 10/01/07 a 07/03/07

(2) Na época em que o post foi publicado era Dia dos Namorados nos Estados Unidos

(3) Nota do Editor (bomcaminho.com): Não se deve ter a impressão de que os puritanos eram avessos ao romantismo e à sexualidade no casamento. Devemos tomar o cuidado de não olhar para eles à luz de nossos tempos hipersensualizados. Os puritanos eram referência em seus casamentos e estavam anos-luz à frente de outras religiões em toda essa questão do papel do marido e da mulher.
 

Nenhum comentário: